cabos submarinos de internet

Como funciona a tecnologia de cabos submarino de internet?

O mundo está conectado através da rede e dos cabos submarinos de internet e apesar de essa ser uma tecnologia muito nova para algumas pessoas, as informações são passadas e atravessam milhares de quilômetros até chegar ao seu destino.

Mas como todo esse equipamento funciona? Quais são os benefícios? E as desvantagens? Para entender mais sobre essa tecnologia e descobrir como ela funciona e como isso chega até você, continue lendo.

cabos submarinos de internet
Fonte: https://canaltech.com.br/telecom/cabos-submarinos-como-funciona-a-tecnologia-que-conecta-pessoas-e-continentes-133033/

As comunicações através dos cabos submarinos de internet

Os cabos submarinos de internet são responsáveis por quase toda a comunicação que acontece através do oceano. Ou seja, entre continentes. 99% da transmissão de informações é feita dessa forma.

A fibra ótica, e esses cabos de internet, são responsáveis por conseguir transmitir dados, informações, mensagens, fotos, vídeos, e tudo mais que seja necessário.

No Brasil, o funcionamento dessa tecnologia acontece através de 6 cabos, que estão enterrados a mais de mil metros de profundidade, protegidos por um duto metálico, no oceano. Isso evita que a fiação sofra com ataque de algum animal, ou que se degrade de alguma forma.

Conheça os Planos de Internet da Claro para sua empresa e tenha a melhor conexão pelo menor preço! Acesse já https://clarocombomais.com.br/

Como é feita a instalação dessa tecnologia?

A instalação dos cabos submarinos de internet é feita através de navios, que usam um instrumento junto a embarcação, que faz o aterramento no fundo do oceano e inserir o cabo. O que pode levar várias semanas.

Quais as vantagens desse tipo de tecnologia?

Os cabos submarinos de internet são mais vantajosos que os satélites por exemplo, que sofrem com situações de clima, e o tráfego aguenta até 1000 vezes mais informações do que o satélite.

Ou seja, a fibra ótima mesmo, transmite o que cabe mais ou menos em 102 DVDs por segundo, enquanto que os satélites fazem a transmissão de apenas 1 DVD por segundo. Isso mostra o quanto de latência existe através das tecnologias por satélite, e o quanto a informação pode demorar a chegar.

Quais as desvantagens?

Uma das desvantagens são as interceptações que podem acontecer, como o que aconteceu e foi descoberto recentemente, onde a Rússia, foi pega espionando os cabos submarinos de internet que fazem ligação entre a América do Norte e a Europa.

Foi o serviço de segurança que mapeou essa interceptação de dados, e com isso, precisou fazer uma nova verificação e reestruturação para encontrar pontos fracos.

E como a rede dos cabos de internet é imensa, a quantidade de trabalho também é. Com toda a dimensão de dados que eram transferidos, é possível que tenha havido uma ruptura na rede, e isso poderia deixar vários países sem internet e afetar inclusive a economia com graves danos.

cabos submarinos de internet
Fonte: https://olhardigital.com.br/pro/noticia/mapa-interativo-mostra-os-cabos-submarinos-que-formam-a-internet/40667

Com muito mais conexão

O Brasil fez um anúncio em 2018, sobre a construção de uma nova rede que ligaria a Europa conosco, e o EllaLink deve ser inaugurado ainda esse ano, com cerca de 9400 quilômetros de distância.

O cabo deve sair de Santos (SP), passar por Fortaleza (CE) e cruzar o oceano Atlântico até chegar a Portugal, em Sines. Além de Fortaleza é possível que o cabo também passe pela Ilha do Cabo, Ilha da Madeira e Ilhas Canárias.

O custo desse projeto ultrapassou os R$ 670 milhões, e foi financiado pela empresa espanhola Isla Link e a Telebras.

Ligação do Brasil com a Europa

O EllaLink deve ser o segundo recurso que conecta o Brasil com a Europa, e a diferença entre ele e o Atlantis-2, é a capacidade de repasse de informações, ou seja, é uma adaptação do recurso que foi criado em 2000.

Além disso, existem 6 cabos que ligam o Brasil com os Estados Unidos, que é propriedade do Google, que ativou o serviço em 2018, Conectando Santos, Boca Raton, Fortaleza e a Flórida, através do Monet.

O Google ainda possui mais dois cabos que fazem ligação no fundo do oceano, que é o Tannat, com mais de 2 mil km. Ligando a Praia Grande com o Uruguai. Tendo capacidade de 90 terabytes por segundo de transferência de dados.

Ecossistema marinho

É fato que os animais acabam tendo que interagir com esses cabos submarinos de internet, e por esse motivo que eles precisam passar por todo um equipamento que reforce a sua durabilidade, para proteger tanto em águas mais rasas, quanto águas mais profundas.

Houve um acidente em 2014, onde tubarões atacaram um dos cabos da Google, e a construção fazia ligação entre o Japão e os Estados Unidos. É comum que a tecnologia afeta o ecossistema marinho?

Essa pergunta é bastante debatida entre pesquisadores, que estudam esse meio, e a intervenção que esses cabos podem ter na vida dos animais. Em 2016, descobriram que a tecnologia irradia um campo eletromagnético, mas que causa poucos efeitos no ecossistema.

O medo maior sobre esses cabos submarinos de internet ainda é sobre o comportamento dos animais, e a preocupação com possíveis invasões. Já que qualquer tipo de conserto que precise ser feito leva muito tempo, e custa uma fortuna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *